sexta-feira, 30 de novembro de 2007

Teu nome



TEU NOME

Teu nome é uma gota de mel
em minha boca.
Repito-o como um mantra
que me conduz à paz.

Teu nome é um som diáfano,
cortando uma paisagem bucólica.
Caminho de olhos fechados:
de todo modo, chegarei bem.

Teu nome é uma réstia de sol
entrando pela fresta da janela.
Acordo em sossego sem fim
ao perceber que sonhei
cantando o teu nome
diante da vida.

Aldir Bilac

2 comentários:

Pepe Luigi disse...

Cheguei, entrei e gostei.

Um beijinho
Pepe.

Gilcimar T. S. disse...

Nossa que lindo poema!!!!