quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

Acidente de amor...



Numa curva perigosa, de repente,
derrapei não sei como neste amor
que arde em mim, secretamente,
dentro do meu peito, com fragor

Sem eu saber bem como ou porquê,
na estranha essência dos sentidos,
paixão assim ardente não se vê
no olhar dos amantes já perdidos

Como fogo que no corpo se dilui
na vertigem de outonais paixões,
acendendo desejos, mil sensações,

de verdade tão vária, sede que flui,
como pedaço de sol caído na cama
incendiando o corpo de quem ama…

Albino Santos

Um comentário:

Adri - Dri - Drika disse...

uau! muito lindo ;).. bju