segunda-feira, 13 de julho de 2009

Eterno amor



Eterno amor

Amo-te,
amo-te mais do que um poeta podia descrever
com a sua pena d'ouro mais preciosa;
mais do que um pintor podia pintar
com o mais romântico dos cenários;
mais do que um escultor podia talhar
no mármore mais macio de sua selecção;
mais do que um fotografo podia captar
no momento mais único,
e maravilhoso deste mundo;
mais do que um cantor podia entoar
com a mais tocante das canções.

É o que eu sinto,
é o que eu sinto por ti:
uma amor épico
que já mais alguém superará,
um amor que sinto,
quando olho, no fundo
de teus belos olhos
e vejo a paixão
que floresce a cada batimento
de teu doce coração.
E meu amarga, quando
na tua presença não está,
meu coração perde a força,
meus olhos se fecham;
meu sorriso se apaga;
mas não meus ouvidos,
que enquanto deitado
na pedra fria e áspera,
esperam ouvir tua suave voz
para de novo despertar meu coração
da eterna solidão.

Eu amo-te
eu vou amar-te
e so a ti amarei,
até que os anjos
me venham buscar,
por ti e por teu amor vivo,
e apenas por ti
deste mundo partirei.

slotter

2 comentários:

marciel disse...

poemas lindos muito legau!!!!

parcoproki disse...

É lindo maravilhoso este poema.
Para quem sabe valorizar os poemas e compara-lo aos sentimentos mais profundo.
Parabéns.