sexta-feira, 5 de outubro de 2007

Não te amo em segredo



Não posso dizer que te amo em segredo,
Porque meu peito explode de emoção,
Digo sim que te amo e não tenho medo,
Que saibam todos do que sente o coração

Que se certifiquem dessa minha alegria,
De ter você inteira dentro do meu peito.
Chegou de repente, se instalou com jeito,
E tornou realidade minhas doces fantasias.

E meu coração canta uma canção divina,
Alegre tal qual canto dum rouxinol feliz,
E se do amor em segredo ela me ensina,
Não consigo guardá-lo. E eu bem que quis.

Mas como esconder o que sente o coração,
Se ele mal cabe aqui dentro do meu peito;
E ele quer cantar para o mundo essa canção,
Falando desse grande amor assim perfeito;

Surgido das páginas alegres da esperança
Que nos transporta a este estado de graça
Que nos deixa bêbados de um doce desejo
Que se perpetua nas delicias de um beijo

Como posso ficar te amando em segredo,
Se o amor é tão forte, quase uma religião,
Por ele, não aceito o segredo da confissão,
Porque da minha vida amar-te se fez enredo.

Ela, uma linda mulher em forma de poesia,
Flor da mais fina flor que brota mansamente;
Foi regada na pureza das águas da primazia,
Alento d’alma que torna um coração ardente.

A poetisa está triste, mas ela não sucumbirá,
Eu a protejo, eu sou seu poeta guarda-costas,
Como a fênix, mais linda e forte ressurgirá,
E não aceitará as falsas regras a ela impostas.

E eu estarei aqui poetisa, velando-lhe o sono.
Seguindo-lhe os passos, guiando, protegendo.
Dando-lhe um amor sublime, forte, uníssono,
E cada vez mais lhe desejando e a querendo.

Ela, a poetisa é apenas uma nítida imagem,
Que aos poucos se desnuda, a mim se mostra,
E chega, num vôo lindo, trazendo da viagem,
Seu amor e seu carinho. Uma grata proposta.

E vem pousar sobre mim mansa e totalmente,
Delicada, como uma frágil libélula, no pouso.
A deixo aportar, sorvendo do seu vôo formoso,
E ela aporta deslizando sobre a pista suavemente.

Lúcio Astrê
Publicado no Recanto das Letras em 05/10/2007
Código do texto: T681859

Um comentário:

Markyto disse...

mto boa poesia parabens =)