sábado, 3 de dezembro de 2011

Ter você...



Ter você...

É atingir o inatingível,
decifrar o indecifrável,
transpor o intransponível,
explicar o inexplicável,
compreender o incompreensível,
violar o inviolável,
profanar o mais sagrado.
E viver a plenitude do inusitado...

Pra ter você...

Quebrei todos os preceitos,
livrei-me de preconceitos,
rompi barreiras,
transcendi fronteiras,
desagravei as leis,
desacatei princípios,
desmoralizei os fatos,
repudiei valores.
Morri de amores...

Sem ter você...

É ver o amanhecer sombrio
trazendo a luz de um sol sem brilho...
É ver a noite sem o prata da lua
e o breu soturno de estrelas apagadas;
fantasias pelos cantos, desperdiçadas,
entre sonhos vazios, solitários, vagos.

É viver com a sensação de ter morrido;
é morrer como se não houvesse nascido.

_Carmen Lúcia_

3 comentários:

Nanda Assis disse...

q lindo!!

bjosss...

Débora Sader disse...

Nossa, que poema mais lindo!!!! Posso postar essas duas últimas frases no meu blog? Também escrevo, se quiser conhecer meu blog: www.deborasader.blogspot.com

Abraço, Débora Sader.

VDA disse...

Lindo d ++ Por favor me ajude com a divulgação do meu blog de poemas